Oníricos

Histórias, cenas e sonhos de amores avulsos, que acontecem em qualquer lugar ou tempo. Paixões que nascem no fim do mundo ou num bar de karaokê, que enfrentam catástrofes ou só a descrença e o improvável da vida comum. Adultérios permitidos e casamentos em dúvida, diários, sms e e-mails, nestas histórias vemos por dentro o nascimento ou o fim de sentimentos e relações, homens e mulheres se aprendendo, se esquecendo, começando ou recomeçando. Há espaço para humor e aventura, e romantismo nada óbvio, em diálogos que prendem o leitor. A pegada é real, como se tudo estivesse acontecendo na sua frente.

Lançado em dezembro de 2013, "Oníricos - Os Primeiros" foi meu primeiro livro publicado, exclusivamente em formato ebook. Inclui seis contos baseados em sonhos, sendo um deles um microconto. A segunda edição foi lançada exclusivamente em papel.

Oníricos 2ª edição

A segunda edição dos *Oníricos reúne, além dos quatro contos já publicados na primeira antologia, mais quatro oníricos, três deles publicados separadamente em ebook e um inédito.

*Onírico 6 - Monumental

*Onírico 13 - Não Sou Uma Planta

*Onírico 16 - Coração Valente

*Onírico 15 - Chega-te a mim ou Pega e não me larga

Monumental

A paixão do sul-americano pelo futebol no seu ápice: a Copa América. Uma seleção encantada, celestial, conquistando o mundo inteiro com sua raça, sua história, sua graça e sua paixão. Uma partida que começa num andar errado, um jogador, uma jornalista, driblando elevadores, recuperando posição, avançando no mata-mata, disputando cada bola. Uma história para apaixonados: por futebol ou não!

O sexto onírico, que se passa durante a Copa América de 2011, foi lançado em junho de 2015, durante a Copa América 2015. O título faz referência ao estádio Monumental de Nuñez, onde se realizou a final da Copa América 2011, sediada na Argentina.

Não Sou Uma Planta

O príncipe é de fato responsável por aquilo que cativa? Ou a raposa responde pelo que sente? Sara Mills, a fã número 1 de William Calder, a referência dentro do fandom, de repente se vê onde sempre quis e nunca sonhou estar. Perto, talvez perto demais. Só que mesmo quando tudo conspira a favor, uma velha citação se ergue como um obstáculo diante dela. Da série Oníricos, o Onírico 13 mergulha mais uma vez no universo das fãs e seus ídolos numa história veloz e cativante. Com uma emoção extra: você escolhe até onde vai o seu final.

Curiosidade: a série "Return", mencionada neste ebook, também é mencionada em "Stage Door".

Chega-te a mim

ou

Pega e não me larga

Maria tinha um objetivo e não tinha medo de usar as armas menos convencionais de que dispunha para alcançá-lo.

Hugo Bergfalk estava prestes a ser enfeitiçado.

Maria e Hugo são um casal improvável. Tão improvável que a única forma de aproximá-los foi, bem, no mínimo muito pouco ortodoxa: uma simpatia. Maria nunca tinha acreditado nessas coisas, mas quando resolveu arriscar, acertou o alvo.

Um feitiço tão certeiro que atingiu Hugo como um soco no peito. Quem era ela? Como ele nunca a tinha visto antes? Era mesmo invisível? Por que não conseguia parar de pensar nela? Até onde, ou até quando, chegam as garras desse feitiço?

"Chega-te a mim" é o Onírico 15 e foi originalmente lançado na 2ª edição da antologia dos Oníricos, apenas na versão impressa. Só em janeiro de 2018 o conto saiu em ebook. A foto de capa do ebook é de Lorena Filgueiras, no Ver-O-Peso, em Belém - PA.

O Sangue

"Quando as mentiras começam a cheirar, até as verdades fedem."

Uma moça que foi testemunha da execução do próprio pai vive no limbo de uma vida falsa, inventada.

Patrícia Oliveira está no programa de proteção às testemunhas e vive exilada, na Flórida, com o que restou de sua família, sob a vigilância perturbadora do policial Diego Ferraz. Ela perdeu o nome, perdeu a casa, perdeu o pai, deixou para trás uma vida inteira. Mas pode ganhar muito mais do que jamais sonhou. As tragédias também reescrevem os finais.

O onírico 19 foi sonhado em janeiro de 2016 e terminado em 25 de fevereiro do mesmo ano. Foi publicado em outubro de 2016 e a foto da capa é minha, tendo como base a tampa do notebook no qual o livro foi escrito.

D.O.C.

Uma trama de desencontros e uma paixão inescapável

Diana é uma mulher prática, decidida e intensa. Ela trabalha como garçonete no D.O.C., o bar super badalado dentro do sofisticado Clube de Médicos e adora o seu trabalho. Exceto aquela parte dos clientes dando em cima das garçonetes...
Estêvão é cliente do bar. Estêvão dá em cima da garçonete.
Estêvão é o cara certo que faz tudo errado. Médico dedicado, super apegado à família, ele se preocupa com os outros e gosta de ajudar. Mas o melhor dos caras também é capaz de ser babaca. Quando os erros se acumulam, os desencontros enchem de desvios a estrada de Estêvão e Diana. Mas a trama se desenrola, inexorável, embolando-os nesse caminho que eles não imaginam onde vai levar.

O onírico 24 foi sonhado em 29 de setembro de 2016, mais especificamente a cena do capítulo "Pink Floyd". Todo o livro acabou girando em torno da música "Comfortably Numb" e do seu título alternativo, que é "The Doctor". A profissão do protagonista foi escolhida dessa maneira, assim como o nome do bar e o título do livro.

Presença

Duas presenças constantes. Diárias. Todos os dias, ali, ao alcance da mão. Duas pessoas que fazem parte da paisagem uma da outra. Quase invisíveis. Até que, um dia, os olhos se abrem, as mãos se alcançam...

Cecília e Marcelo moram juntos há três anos. Bom, não juntos, mas no mesmo apartamento. Até que um dia eles se acham nos braços um do outro e só uma coisa é certa: tudo vai mudar. Mas ambos têm muito a perder. Dá pra fingir que nada mudou? Será que é isso que eles querem?

Janela

Um trajeto tão curto quanto o próprio conto. Uma mudança de ponto de vista que fará o leitor compreender - dolorosamente - a verdade sobre esta história.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
© 2023 por Adão Castelo. Criado orgulhosamente com WIX.COM